Fato Concreto

Fato Concreto

Polícia frustra rebelião de presos em Camacan

Por volta das 14:00hs da tarde de 14/06/12 (quinta-feira), no Município de Camacan/Ba, a 540 KM da Capital do Estado, a Central de Operações da 62ª CIPM (Companhia Independente de Polícia Militar) recebeu, da Polícia Civil, informações acerca da ocorrência de uma rebelião de presos desencadeada naquele exato momento. Diversas guarnições policiais militares pertencentes à Unidade com o apoio de integrantes da CIPE/ Cacaueira, sob o Comando do Major PM Rodrigues de Castro, Comandante da 62ª CIPM, deslocou-se ao local com o fito de restaurar a ordem.       
Ao chegarem a Delegacia constataram que um dos encarcerados identificado como WILLIANS SILVEIRA SANTOS, 29 ANOS (foto ao lado), líder do movimento, condenado por prática de assaltos, inclusive a casa lotérica do município de Santa Luzia/Ba, insatisfeito com sua transferência decretada pela Justiça para o presídio da cidade de Itabuna, passou a desencadear uma série de desatinos na Delegacia, incentivando outros comparsas a iniciarem uma rebelião na circunscrição policial. Os detentos atearam fogo em colchões e em outros objetos particulares e públicos no pátio destinado ao banho de sol, para além disso, arrancaram a grade da cela em que se encontravam.
No momento, alguns populares se concentraram nos arredores da delegacia fato que impossibilitou o fluir das guarnições. Além da existência de fogo em uma altura considerável, o que dificultava a entrada dos policiais ou qualquer possibilidade de negociação por parte dos gestores de segurança, o pânico instalou-se entre os detentos que não participavam do motim.

 Diversos compartimentos de água foram arremessados contra a cortina de fumaça instalado no pátio, levando a extinção do fogo, com isso, policiais conseguiram adentrar as instalações  e controlar  imediatamente a desordem ora ali estabelecida.

Willians Silveira Santos, após a invasão dos policiais, foi imobilizado e retirado da cela para um compartimento diverso da delegacia até ser transferido para o presídio da Cidade de Itabuna, ficando todos os outros presos sob domínio policial.
 Juntamente com Willians, também foram transferidos para o presídio ERLON DE SOUZA DIAS que responde por plantação da erva cannabis sativa, vulgarmente conhecida por “maconha” e Cardione de Assunção Lopes que segundo informações responde por tentativa de homicídio.


Na revista às celas foram encontrados 01 macaco hidráulico, (semelhante ao utilizado na última fuga de presos), diversas armas brancas tipo faca, uma “tereza” (estrutura confeccionada com pedaços de tecido em forma de corda ou escada) completamente pronta para a fuga ao longo da noite, além de um pedregulho que levaria esta última até a abertura do teto e a faria retornar dando margem à escapatória.
 O Major Rodrigues de Castro (a frente da guarnição na foto ao lado) acredita que a reação de Willians em não ser transferido somado ao número de acessórios encontrados na carceragem indica a suspeita de planejamento de fuga em curto prazo
        Reestabelecida a ordem, policiais militares, sob o comando do Major PM Rodrigues de Castro, Comandante da 62ª CIPM, deixaram a cena da rebelião, para a adoção de outras medidas.

 * Fato Concreto com texto e fotos da ASCOM/62ª CIPM

0 comentários:

Postar um comentário

NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS DEPRECIATIVOS, DESRESPEITOSOS E EM DESACORDO COM AS LEIS VIGENTES.