Fato Concreto

Fato Concreto

CICOM registra mais de um milhão de ligações em 2017


Número de ocorrências registradas foi de 42.376, 22% maior do que a do ano anterior.

O Centro Integrado de Comunicações de Feira de Santana (CICOM/Portal do Sertão) – órgão ligado à Superintendência de Telecomunicações (STELECOM) da Secretaria da Segurança Pública e responsável pelo atendimento das chamadas para os telefones de emergência 190 (Polícia Militar), 193 (Corpo de Bombeiros) e 197 (Polícia Civil) provenientes de dezesseis municípios, além de Feira de Santana – recebeu um milhão e sessenta mil ligações durante o ano de 2017, com uma média de duas mil e novecentas ligações diárias.



O Centro funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana, e atende uma população estimada em mais de um milhão de pessoas. Conta com a presença contínua de policiais militares e civis, bombeiros militares e pessoal terceirizado, o que o torna uma grande central de emergências, responsável por promover maior agilidade no atendimento e acompanhamento das ocorrências criadas a partir de solicitações da população residente e em trânsito.


Segundo o Capitão PM, Rosuilson Cardoso, Coordenador do CICOM, as ligações deram origem a 42.376 ocorrências, quantidade que supera em 22% àquela registrada em 2016 e resultaram na expressiva marca de 4.032 pessoas conduzidas às Delegacias de Polícia, sendo 1.067 delas presas em flagrante delito e 337 adolescentes infratores apreendidos. Além disso, 862 veículos foram recuperados, 408 armas de fogo apreendidas e 435 apreensões de drogas foram realizadas.


Outros números que merecem destaque é a considerável quantidade de ocorrências registradas envolvendo casos de violência doméstica e de perturbação do sossego público – o famoso som alto – que atingiram a marca de 3.286 e 1.967 registros respectivamente.

Sala aonde funciona o CICOM


Dentre as ocorrências atendidas pelo CICOM e direcionadas para o Corpo de Bombeiros destacam-se: 862 registros de captura e resgate de animais, os 446 combates a incêndios diversos e mais de 91 ocorrências que envolveram salvamento de pessoas.
Estes números, segundo o Coordenador, demonstram o quanto é importante a integração dos órgãos de segurança pública e defesa civil. O mesmo afirma que o sucesso em tal política possibilita o acesso da população aos serviços disponibilizados através das ligações de emergência – efetuadas para um único lugar – e otimiza o emprego do efetivo, além de reduzir o tempo de atendimento das ocorrências.

Além disso, tais resultados evidenciam o alto grau de responsabilidade, dedicação e profissionalismo de todos os servidores que trabalham diuturnamente no CICOM com o objetivo de atender e prestar o melhor serviço possível à população.





TROTES

Apesar do grande número de ligações que o CICOM recebeu em 2017, o registro negativo fica por conta da grande quantidade de “trotes” que o órgão recebeu. Segundo o Capitão Rosuilson, aproximadamente metade das chamadas trataram-se de falsas comunicações de crime ou de ofensas dirigidas contras os atendentes e às instituições.

"A comunicação falsa de crime ou contravenção, o conhecido “trote”, é crime previsto no artigo 340 do Código Penal Brasileiro (provocar a ação de autoridade, comunicando-lhe a ocorrência de crime ou contravenção que sabe não ter se verificado), podendo ao infrator ser aplicada uma pena que varia de um a seis meses de detenção, além de lhe ser imposto o pagamento de multa". Explicou o capitão Rosuilson.

Bom relembrar que, passar “trote” para os serviços de emergência, além de ser um crime, causa sérios prejuízos à população, pois as linhas telefônicas ficam ocupadas, prejudicando as pessoas que precisam do socorro imediato e obrigando os atendentes a terem mais rigor nos atendimentos, exigindo maiores detalhes, o que, em alguns casos, acarreta um registro mais demorado.


O CICOM, porém, dispõe de mecanismos que proporcionam a identificação dos indivíduos que passam os trotes. “O sistema identifica todos os números dos telefones que efetuam ligações para o Centro, as datas e horários das ligações ficam registrados no sistema e, por fim, todas as conversas são gravadas e podem servir como provas do cometimento do crime, o que possibilita a potencial responsabilização criminal dos infratores, já existindo casos de prisões realizadas em Feira de Santana por esse motivo”. declarou o coordenador.

O Coordenador ressalta ainda, que a população deve se conscientizar de que os números 190, 193 e 197 são considerados essenciais para o atendimento das suas necessidades relacionadas à área da segurança pública e da defesa civil e que, portanto, a sua utilização dever ser feita apenas em situações que ensejam diretamente algum tipo de intervenção.


DENÚNCIAS


O Capitão Rosuilson destaca que denúncias sobre homicídios, tráfico de drogas, roubo de cargas, roubo de veículos, criminosos procurados, esconderijo de armas, desmanches de veículos, dentre outras, contribuíram para que fossem realizadas importantes ações e prisões durante 2017 e conclama a população a efetuar as denúncias: “a população exerce um papel essencial na questão da segurança pública e a sua participação contribui bastante para a solução dos problemas. Durante o ano tivemos diversos casos graves que foram esclarecidos com o apoio da comunidade. É importante que as pessoas liguem para o CICOM e denunciem os fatos criminosos que tiverem conhecimento, de forma que as Polícias possam efetuar as prisões, solucionar e evitar crimes”.


O Coordenador informa que todos os profissionais do CICOM são capacitados para colher as informações e que é assegurado a todos, o sigilo e o anonimato absoluto, podendo a denúncia ser realizada através dos números de emergência 190 ou 197.



Fonte: CICOM/Feira de Santana








                                                  * Fato Concreto

0 comentários:

Postar um comentário

NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS DEPRECIATIVOS, DESRESPEITOSOS E EM DESACORDO COM AS LEIS VIGENTES.